Notícia / Dia 27 de Março comemora-se o Dia Nacional do Dador de Sangue -40º ANIVERSARIO DA FEPODABES
Geral

Dia 27 de Março comemora-se o Dia Nacional do Dador de Sangue -40º ANIVERSARIO DA FEPODABES

2024, Apr 21
Federação
1288
1

 

Ex.º Senhores dadores e dirigentes das Associações / Grupos e Núcleos de Dadores de Sangue

 

FEPODABES comemora Dia Nacional do Dador de Sangue com alerta para os desafios que enfrentam os dadores e as suas associações

No próximo dia 27 de Março comemora-se o Dia Nacional do Dador de Sangue

Esta data corresponde também à da fundação da Federação Portuguesa de Dadores Benévolos de Sangue, que festeja o seu 40ª Aniversario. 

Comemora-se no próximo dia 27 de Março, o Dia Nacional do Dador de Sangue. Nesta data tão importante, a Federação Portuguesa de Dadores Benévolos de Sangue (FEPODABES) agradece a todos os dadores de sangue das dádivas feitas ao longo do ano.

Igualmente se dirige uma palavra de agradecimento a todos os dinamizadores da dádiva de sangue, designadamente aos dirigentes das Associações / Grupos e Núcleos de Dadores de Sangue pelo seu trabalho, dedicação e esforço. O ato de dar sangue não deve ser visto como uma obrigação, mas sim um ato de grande altruísmo que merece ser festejado. Assim, o Dia Nacional do Dador de Sangue é um dia em que devemos homenagear todos aqueles que, com a sua dádiva, contribuem para que seja possível salvar mais vidas.

 

Este ano estas comemorações tem um simbolismo especial, porque ao fim de dois anos de interregno das comemorações devido à pandemia, retomam-se as comemorações do Dia Nacional do Dador de Sangue. É mais que justo homenagear um grupo de pessoas muito especial que, conjuntamente com os profissionais de saúde, esteve também na linha da frente: os dadores de sangue e dinamizadores da dádiva de sangue.

Como entidade que representa 84 associações locais de dadores de sangue, a FEPODABES ambiciona um movimento unido em torno da auto-suficiência do sangue e de uma resposta positiva nos momentos mais difíceis. É possível compatibilizar esses objectivos e continuar a ter uma dádiva de sangue segura, cumprindo escrupulosamente as normas e directivas nacionais e europeias.

 

Quando há 40 anos a FEPODABES foi fundada, os desafios eram terminar com a dádiva de sangue dirigida e renumerada (tornando-a completamente benévola), o aproveitamento total da dádiva de sangue (através do aproveitamento total do plasma) e a não discriminação na dádiva de sangue devido à orientação sexual dos dadores. Após quatro décadas, hoje os desafios são outros, hoje lutamos pelo reconhecimento e fortalecimento do papel do Dador de Sangue e do papel das Associações /Grupos e Núcleos de Dadores de Sangue, as quais asseguram tarefas e missões que as próprias entidades estatais, que têm competência nesta área, não conseguem assegurar.

 

No que toca ao papel do Dador de Sangue, é importante que o 27 de Março não se resumo a apenas um dia, mas sim estender esse espírito a todos os outros dias do ano. E isso passar por dizer um obrigado permanente, que se traduza numa capacidade de resposta para fazer colheitas de sangue em todo o país, o direito a isenção das taxas moderadoras, o direito à dispensa laboral sem perda de direitos no dia da dádiva e no acesso mais rápido no atendimento no Serviço Nacional de Saúde.

 

Quanto às Associações /Grupos e Núcleos de Dadores de Sangue têm tido o papel fulcral de assegurar funções que o próprio Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST) não consegue garantir. Através da promoção, da sensibilização e de assegurar locais para as colheitas de sangue, estas entidades são fundamentais para mobilizar os cidadãos para a dádiva benévola de sangue.

É urgente que sejam criadas condições para melhorar o desempenho das mesmas, seja ao nível do apoio financeiro, seja ao nível da criação de um Programa Estratégico Nacional para a Dádiva de Sangue.Este Programa deverá ser ter com o envolvimento do IPST, dos Hospitais e dos representantes dos dadores, para que seja possível discutir e apresentar ideias para um estratégia única nacional, algo que muita falta faz ao país nesta área.

 

A FEPODABES é uma instituição sem fins lucrativos que tem como objectivo desenvolver uma actividade no âmbito da solidariedade social e humanitária no campo da dádiva benévola do sangue, promovendo a difusão da dádiva junto da população. A FEPODABES tem ainda como objectivo cooperar com o Estado em tudo o que está relacionado e com a temática da dádiva benévola de sangue, representados os seus filiados junto dos Serviços Públicos nos assuntos comuns e da sua competência específica.

 

Muito Obrigado a todos ,

 

Com os melhores Cumprimentos

 

Ao Vosso Dispor

 

O Presidente da Direcção da FEPODABES

 

Alberto Manuel Gonçalves Mota

Relacionados
Geral
+

O GOTAS VAI A ESCOLA

A FEPODABES - Federação Portuguesa de Dadores Benévolos de Sangue, lançou recentemente este projecto específico para a comunidade escolar, com o intuito de dar a conhecer a importância da dádiva de sangue e aumentar a população dadora de sangue entre os mais novos. Este programa divide-se em duas vertentes:A primeira vertente abrange crianças dos 6 aos 9 anos com objectivos lúdico-pedagógicos, nomeadamente pintura de desenhos do Gotas, com a presença do Gotas, apresentação de um vídeo promocional da campanha, distribuição de folhetos da FEPODABES e da Associação de Dadores local e brindes alusivos ao tema para os mais novos.A segunda vertente abrange jovens dos 15 aos 18 anos cujo objetivo é sensibilizar para a dádiva de sangue com a apresentação do Gotas, apresentação de um vídeo promocional da campanha, uma sessão de 30 minutos com apresentação em PowerPoint sobre a dádiva de sangue, seguindo-se o esclarecimento às questões colocadas pelos alunos. Será, também, distribuído material promocional da FEPODABES e da Associação de Dadores local.A FEPODABES garantirá um conjunto de informação sobre esse tema  por meio de apresentação de Vídeos , no final de cada sessão será distribuída um desdobrável dessa apresentação sucinta de toda a informação.Acreditamos que este projecto terá reflexos positivos para  o futuro da dádiva de sangue,  especialmente  nos meios onde existem Associações /Grupos e Núcleos de Dadores de Sangue .Agradecendo  o  interesse  e  disponibilidade  de  V.Exa.,  estaremos  ao  dispor  nos  contactos da FEPODABES na expectativa de poder contar com o TODOS. FEPODABES – Federação Portuguesa de Dadores Benévolos de Sanguewww.fepodabes.ptdirecao@fepodabes.pt910 696 032
Geral
+

Programa de Colheita de Plasma Convalescente

Programa de Colheita de Plasma Convalescente O IPST,IP pede a todos os dadores de sangue do grupo sanguíneo A que tenham recuperado da COVID-19 até ao prazo máximo de 60 dias, para se inscreverem para a dádiva de plasma convalescente. Este tipo de dádiva é necessário já e pode salvar vidas. Pode inscrever-se clicando neste link: http://www.ipst.pt/index.php/pt/programa-de-colheita-de-plasma-convalescente Pode pedir mais informação através do e-mail: dou.plasmaconvalescente@ipst.min-saude.pt Por favor, partilhe esta mensagem junto dos seus familiares e amigos Medicamentos derivados do plasma e plasma para transfusão tratado por solvente detergente, de origem nacional, disponíveis em 2021 no IPST para fornecer aos serviços hospitalares No final de 2020, foram entregues ao IPST os medicamentos derivados do plasma, correspondentes aos de maior utilização terapêutica, a nível nacional, resultantes do 2º procedimento concursal  de fracionamento de plasma,  lançado por este Instituto no 1º semestre de 2020, em pleno confinamento. Os medicamentos derivados do plasma entregues em dezembro ao IPST totalizam 39.715 embalagens de albumina humana, na apresentação de 200 g/l, Sol Inj Fr 50 ml IV; 6.396 embalagens de imunoglobulina humana normal, na apresentação de 100 mg/ml, sol. inj. Fr. 100 ml IV   e  3.116 embalagens de Factor VIII da coagulação, na apresentação de 1000 U.I. Pó Sol Inj Fr; que correspondem na sua forma de apresentação e dosagem, aos mais consumidos pelos serviços hospitalares. Trata-se de medicamentos obtidos a partir do fracionamento de 15.000 litros de plasma resultantes de  colheitas de sangue benévolas efectuadas pelo IPST, pelo Centro Hospitalar e Universitário de S. João e Centro Hospitalar e Universitário do Porto  e que são fruto da  generosidade e do altruísmo de cidadãos residentes em Portugal. Este procedimento concursal  deu  continuidade  ao Programa Estratégico de Fracionamento do Plasma, que teve o seu início com um concurso de fracionamento de 30.000 litros de plasma de colheitas de sangue apenas do IPST, e que na sua 2.ª fase  agrega ao plasma do IPST o dos serviços de sangue hospitalares, constituindo-se estes como contributo imprescindível, enquanto fornecedores de plasma fresco congelado (PFC), para  alcançar o  objetivo da redução  da dependência externa e a concomitante crescente suficiência nacional  em alguns derivados do plasma. Em razão das condições técnicas e de logística necessárias por parte dos  serviços hospitalares e do seu envolvimento progressivo, o IPST planeou uma atuação concertada em 2 momentos temporais distintos: Em 2020 o lançamento, tramitação e conclusão do concurso apresentado supra. De 2020 a 2022, abertura, tramitação e conclusão de um concurso público internacional para  obtenção de medicamentos derivados do plasma, que correspondam aos de maior consumo nacional, a partir do fracionamento de 60.000 litros de plasma provenientes dos 3 Centros Regionais de Sangue  do IPST e das seguintes entidades hospitalares: Centro Hospitalar do Porto, EPE Centro Hospitalar de São João, EPE Instituto Português do Oncologia do Porto Dr. Francisco Gentil, EPE Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, EPE Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, EPE Centro Hospitalar do Médio Tejo, EPE Instituto Português do Oncologia de Lisboa Francisco Gentil, EPE ULS  Alto Minho, EPE Centro Hospitalar e Universitário  do Algarve, EPE Hospital Espírito Santo de Évora, EPE Hospital Garcia de Orta, EPE Acresce referir que para além da entrega dos medicamentos derivados do plasma identificados acima, o IPST também recebeu no final de 2020, para disponibilizar aos serviços hospitalares,  plasma para transfusão submetido a tratamento de solvente/detergente (Octaplas), produzido a partir do plasma de origem nacional resultante da colheita de sangue do IPST, do CHUSJ e do CHUP. Foram entregues  10.071 embalagens dos grupos sanguíneos 0 e A, correspondendo a 3 dos 18 lotes adjudicados, sendo que os restantes lotes, compreendendo cerda de 45.000 embalagens de Octaplas, serão entregues ao IPST ao longo do corrente ano.